O paradoxo da escolha – ou “a arte de comprar leite”

Eu sempre curti ir no supermercado em países alheios. Entender um pouquinho do hábito das pessoas do lugar pelo tipo de comida que você encontra, pirar nuns ingredientes malucos tipo sorvete de feijão ou se achar a Narcisa Tamborindeguy comprando um Biscuit Marie num supermercado charmosinho francês só pra depois perceber que pagou 4 euros num pacote de biscoito maria.

E eu tive esse alegria chegando aqui nos Estados Unidos, eu fiquei maravilhada com a quantidade de marcas e opções e como qualquer supermercado normal daqui botava até o VerdeMar da BR no chinelo.

Mas quando você começa a ir sempre, pra comprar coisas do dia a dia e não tem 2 horas pra ficar pirando em tranqueiradas (nem dólares suficientes pra ficar provando sorvete de grão-de-bico todo dia) a experiência num supermercado americano pode ser bem sofrida.

O negocio é que é o seguinte: a estrutura do supermercado aqui em princípio é a mesma que a de um supermercado qualquer no Brasil ou na Espanha, no caso, então ele pode até parecer um estabelecimento inofensivo visto de fora, apenas um supermercado legal com bastante variedade, bacana. Mas pra um olhar mais treinado, meu amigo –believe me – isso não é um supermercado comum.

Vamos ao exemplo porque com exemplo fica tudo mais fácil de entender: seção de leite num supermercado brasileiro. Num supermercado padrão você tem uma seção de leite que normalmente se limita a talvez umas 8 marcas e dentro de cada marca tipo desnatado, semi, integral. Pronto. A humanidade precisa de mais diversidade de uma commodity tão banal como leite? Não precisa gente, tá mais que suficiente.

Só que não, vem comigo porque pra o sujeito poder navegar pela seção de leite nos Estados Unidos, nossa ele tem que ter um entendimento pelo menos básico da teoria dos jogos, um conhecimento intermediário de tabela dinâmica e de preferência ter feito Kumon na quarta série.

O negócio não é pra qualquer um não.

Pra começar, que a seção do leite totalmente se duplica entre leite Uht e leite fresco. Aqui, isso são dois mundos completamente diferentes. E dentro de leite fresco, por exemplo existem sub-seções: tipo com lactose e sem lactose.

Mas afinal, o que é um leite sem lactose, não é mesmo? Ele pode ser leite de amêndoas. De soja. De favas. De vaca mesmo, só que tirando a lactose (que aliás, WHAT?), de caju, de coco, de arroz, de hemp (que aliás, WHAT?) e por aí vai indo. E dentro de cada sub-sub seção de leite sem lactose, digamos de amêndoas, você tem umas 8 marcas e cada uma dessas 8 marcas por sua vez tem uma sub-sub-sub opção de 1% de gordura, 2% de gordura, 5% de gordura, 17,3% de gordura e daí pro infinito. E dentro do sub-sub-sub-sub-sub conceito de leite sem lactose de amêndoas da marca Almond Dream 3,1415% de gordura, você pode querer de repente “com 30% mais Ômega 3” ou “15% mais cálcio”. Ou os dois, juntos! Porque não? Totalmente existe um mercado proeminente de pessoas intolerantes a lactose que curtem amêndoas, se preocupam – moderadamente – com a ingestão de gordura mas querem um boost de Ômega 3 e cálcio. Tipo, eu mesmo conheço, altas pessoas.

Tá sentindo o drama?

Não vem botando a mão na minha cabeça dizendo que isso é lindo, que é maravilhoso ter essa variedade incrível de opções, que o consumidor americano é um privilegiado e tentar me convencer de que o capitalismo nasceu mesmo foi pra satisfazer  aquele consumidor cujo grande sonho de consumo é sempre foi o soymilk-gluten-free-0,2%fat-vegan-VitamineCenhanced.

Não.

Essa quantidade absurda de opção, ela deixa de ser ótima e passa a gerar uma dor de cabeça, uma ansiedade, uma inquietude, uma sensação de incompetência e impotência por nunca, JAMAIS saber se você fez a melhor escolha dentro das 317 opções de leite disponíveis – e aqui eu tô falando só de l-e-i-t-e. É foda.

Então fica aqui a mensagem pra você, meu amigo que vai comprar leite na padaria da esquina e só encontra um Itambé Integral. Pra você, que só tem que decidir entre desnatado ou semi. Pra você que achava que leite sem lactose era um mito, tipo melancia sem semente. Você, que pode dizer “vou ali um minutinho comprar leite”. Você é um abençoado e não tá sabendo. Aproveita esse momento de simplicidade plena de escolha. Curte o fato do supermercado não ser o momento mais mentalmente desafiador do seu dia.

E quando vier pros Estados Unidos, nem passa no supermercado, só toma o café com leite no Starbucks mesmo, pra simplificar.

Ah, isso sim: vai querer Mocha, Chai, Capuccino, Pumpkin Latte, Cinammon Latte, Macchiato ou um Salted Caramel Mocha Frapuccino?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s